domingo, 7 de julho de 2019

ENTREVISTA com EDUARDO S. SANTOS

Olá, compadres e amigos leitores da minha revista e do meu blog. E agora também seguidores do meu canal no YOUTUBE (KKKK)! A postagem que vocês vão ler logo abaixo é uma entrevista com o desenhista EDUARDO S. SANTOS que foi originalmente publicada no site da primorosa PRISMARTE em 02/07/2019 e que também estará aqui no meu blog. Vamos conhecer um pouco mais de mais sobre um artista de quadrinhos  brasileiros? BOA LEITURA!

Entrevista com Eduardo Santana Santos(BA), quadrinhista convidado
 da As Aventuras do Zé Coruja #8
                                                        POR J.J. MARINS · 07/02/2019

Nascido em Jequié da Bahia, em 1982, Eduardo Santana Santos, o Edu, é autor autodidata, cartunista atuante na área dos quadrinhos, tiras humorísticas e caricaturas. Editor e principal artista da revista Come-Comix – o primeiro gibi lançado em Jequié e região, em 2006 – gradativamente Edu vê ampliado o alcance de suas criações. Já em 2007 começou a ter tiras veiculadas assiduamente pela Fundação Cultural da Bahia, em sua Folha Literária, chegando aos 417 municípios baianos, em bibliotecas, museus e centros culturais, pelo Diário Oficial produzido pela EGBA. Possui diversos trabalhos publicados em jornais, CDs, cartazes, cartilhas, livros didáticos e periódicos, em âmbitos regional e nacional. Firmou contrato com a Intercontinental Press, agência líder no mercado brasileiro em distribuição de tiras e licenciamento de personagens. Entre suas criações e produções estão: Seu Poêmio – Um Poeta na Reserva, Gutão e Amigos, Spike, O Cavaleiro Valentim, Tatau – O Tatuzinho Filosofolgado, Cornélia – A Justiceira das Traídas; produziu versão em gibi do Téo – O Lógico (IFC Kids). Com a Editora Reflexão, lança o livro “A Saga do Nobre Cavaleiro D’ Oskaghans”.

1 – Como surgiu a ideia de criar e editar a Come-Comix? Quais as motivações?
Fato é que se levarmos em conta meu costume desde criança, rabiscar cartuns em cartolina e papel sulfite, diremos que foi um passo espontâneo para mim, porque afinal desenhar foi sempre meu lazer e criar um gibi era sonho de infância. Contudo, editar veio por necessidade, pois um trabalho meio/muito amador não veria amparo de editora alguma, fosse mesmo ela pequena ou quem dirá média. Segui minha experiência de leitura, misturando intuição e vontade. O nome da revista remete ao pacman (come-come) do vídeo-game, os dois “C” representam bocas famintas na logomarca. Felizmente, em 2006 conseguimos lançar a Come-Comix com apoio total da prefeitura de minha cidade, Jequié-Bahia. Portanto, a revista em quadrinhos de que falamos é, por origem, consequência duma perseverança de jovem cartunista, de então seus 23 anos, mas podemos chamar de teimosia também, acho mais justo, e a publicação tem sua importância em minha memória. Hoje, porém, penso que um novo título deverá representar de modo momentâneo ou definitivo meus quadrinhos.


2 – Como foi sua ideia para criar o personagem SPIKE?
Ele apareceu a primeira vez na HQ “Primo Embriagado” da Come-Comix número 1. O traçado dele era um pouco diferente do que é agora, na cena estava zangado com o inusitado obeso Primo que, prostrado por desilusão amorosa e cachaça, obstruía a passagem de sua ratêsca residência. Lembro-me de que foi uma experimentação de quadrinhos “levemente underground”, como eu definia. Spike é bem falante, espertinho. Gosto de criar histórias dele ou com sua participação.


3 – Como é o mercado editorial de quadrinhos na Bahia?
Afirmo que um mercado quase nada exuberante, como em muitas partes do país, o que sei é que temos vários talentos que volta e meia trazem novidades nesta área, mas, como publicação independente. Várias obras, algumas com desempenho artístico de alto nível. Se bem que o andamento de tais iniciativas, seus resultados, realmente desconheço com propriedade, tampouco os 
persigo, até mesmo porque os quadrinhos como meio de sobrevivência, atualmente, não são mais uma prioridade para mim como antes sonhei. Ando bastante desinformado a respeito, confesso.


4 – Você considera importante personagens regionais, mesmo num mundo cada vez mais globalizado? Ter uma linguagem e elementos locais, mas com temas gerais?
Sim, considero importante, sem dúvida, válido por demais. Ao longo de toda a eternidade, tudo se sucederá numa determinada região, em um local. Se fizermos um recorte, inclusive, dum contexto geral, essa é uma especial maneira de destacá-los, enquanto personagens, além de compartilhar culturas diferentes, de outros matizes, e com abundantes naturalidade e verdade. Sem falar que autores fazem bem melhor aquilo que amam; se o personagem for o que nosso coração quer bem, estando os roteiros das HQs bons e interessantes, não importa em que cantinho do mundo ele nasceu: o leitor não só curte, acata, acolhe, gosta, adapta, adota como até o privilegia, por que não? Nunca pensei em deixar de mencionar nomes poéticos de ruas de minha cidade, do interior baiano, nas histórias em quadrinhos que faço, e nelas uso algumas peculiaridades da linguagem e do ser regional.

5 – Quais os planos para os seus personagens e os seus quadrinhos?
Bom, sinceramente, não tenho feito tantos planos a esse respeito, mas, sempre que der vontade, e puder, tentarei publicar gibis ou jornal de tirinhas. É, como disse, um lazer, enquanto este for divertido, sendo quem sabe recompensador, e houver possibilidade de parcerias, continuaremos.



Acesse o Blog de Eduardo e confira sua produção: https://planetiras.blogspot.com/



SERVIÇO:
AS AVENTURA DO ZÉ CORUJA  Nº08 – Fúria de Tantãs
24 Páginas
Capa colorida miolo em P&B
Impresso R$ 7,00 (correio incluso)
Pode ser feito o pagamento pelo Pagseguro (em seguida envie e-mail com endereço)

Pague com PagSeguro - é rápido, grátis e seguro!

#ATENÇÃO!# Como vocês viram há algumas semanas atrás, eu lancei no YOUTUBE o canal CURTINHAS DO ZÉ CORUJA, onde pretendo publicar nele animações curtinhas do nosso cangaceiro! Já há um desenho animado publicado lá que por sinal é uma propaganda da revistinha  que estamos mostrando nesta postagem! Pois bem, o que quero dizer é que já estamos produzindo uma outra historinha que pretendo publicar lá em breve! Assim como vocês, meus amigos e compadres leitores têm me ajudado neste blog eu gostaria de pedir à todos que me ajudassem também lá no canal! Se inscrevam, curtam, compartilhem, cliquem no sininho e divulguem para todo mundo que vocês conhecerem para que o canal cresça! Agradeço à todos! UM ABRAÇÃO do MARCOS LOPES e de todo o "pessoá" da PADA PRODUÇÕES!

quinta-feira, 20 de junho de 2019

Lançamento do canal- CURTINHAS DO ZÉ CORUJA

Acabei de lançar o CANAL- CURTINHAS DO ZÉ CORUJA

Bom dia, meus amigos e leitores do Zé CORUJA! É com muito prazer que anuncio à vocês essa postagem que eu considero histórica para mim e meu personagem! Acabei de criar no YOUTUBE um canal para o nosso personagem chamado CURTINHAS DO ZÉ CORUJA e nele pretendo brevemente publicar pequenas animações com o nosso herói e de início a primeira animação publicada é exatamente a divulgação da nova edição da revista AS AVENTURAS DO ZÉ CORUJA, onde nosso cangaceiro anuncia a continuação de FÚRIA DE TANTÃS que se encontra em sua segunda parte. Acessem o canal e curtam, compartilhem e deem suas opiniões. Obrigado à todos!

terça-feira, 7 de maio de 2019

ENTREVISTA José Valcir

Oi. meus amigos leitores do BLOG! A postagem que está sendo mostrada logo abaixo é uma reprodução de uma entrevista publicada originalmente no site da gloriosa PRISMARTE em 29/04/2019! Trata-se do nosso querido amigão e roteirista JOSÉ VALCIR, que é um dos principais integrantes da PADA PRODUÇÕES. Eu mesmo tive o prazer de desenhar uma história escrita por ele chamada DIA DE CÃO e confesso que gostaria de ter também outros roteiros escritos por ele para o meu personagem principal o ZÉ CORUJA. Faz um bom tempo que não o vejo, mas espero encontrá-lo de novo com a "turma" quando visitar o RECIFE daqui à alguns meses! Mas...faremos o seguinte: Vamos conhecer um pouco mais deste cara muito simpático na entrevista abaixo!


Entrevista com José Valcir – 
anos depois da 
Pátria Amada
POR J.J. MARINS · 04/29/2019

Durantes a existência da PADA Produções,  José Valcir foi um atuante associado, que desde os anos 80 vem fazendo estórias na história da PADA/Prismarte. Diferente dos demais roteiristas, Valcir na maioria das vezes optou por roteiros com víeis históricos, e teve uma sequência de produções com um gênero singular. E Pátria Amada foi uma destas história, que também com o lápis de Fábio Cassiano, se tornou um clássico da Prismarte, que a pedido de alguns que a leram no passado republicamos nesses anos (30 + 3 anos) que se aproximam aos 40 anos da Prismarte.
Nessa entrevista, tentamos captar a alma criativa do autor, e as expectativas de sua criação antes da concepção, e nos fazer compreender o que fez desta simples, mas emocionante história um reflexo daqueles dias de conflitos de pouco prazeres e muitos pesares no ponto de vista social. Por isso Valcir relata inspiração ao o processo de criação da Pátria Amada.

O nosso simpático JOSÉ VALCIR.
1- Qual foi a motivação para criar a história Pátria Amada?
Eu responderia a: reminiscência. Ou seja, lembranças de criança de quando ouvia meu pai falando com meus tios e amigos, e até mesmo em casa, ao sussurro, sobre o que acontecia lá fora deveria ser falado em voz baixa. Por isso aquela cena do garoto escovando os dentes e na porta da cozinha, ouvindo os pais conversando. Sempre em tom mais baixo não muito claro sobre os acontecimentos nas ruas. De certa forma, aquele garoto de oito, dez anos, refletido ali, na história, sou eu. Portanto, eu queria falar sobre os bastidores, ou da vida das pessoas, que viviam sobre um regime que assustava. Entretanto, deixo claro, não vivíamos sob ameaça, mas falar de um momento conturbando da história brasileira, sem ser levantando alguma bandeira, nem fixando trincheira, foi o objetivo em escrevê-la: expor um momento da vida. Assim como fiz em“João Ninguém” e “Providência”.

2- Como foi o processo de produção da história Pátria Amada ao lado de Fábio Cassiano?
Foi ótimo. Até porque Cassiano, daquele jeito tranqüilo, aceitou minha direção, dando um rumo melhor a arte inicial apresentada. Além disso, ele acrescentou uma cena à história (ou quadrinho) que não havia pensando no roteiro, de que quando acordamos, temos o hábito de roçar os pés. (RS). Outro ponto a considerar a arte de Fábio Cassiano à obra em questão, é que naquele momento dos anos 1990, surgia a produção autoral, cujo roteiro e desenho seguem num mesmo propósito; todavia, ambos tem a liberdade de expressão, que até então era desconhecido em virtude do trabalho industrial imposto pela DC e a Marvel.

3- Quando escreveu a Pátria Amada, você tinha uma compreensão real do que foram Os anos de Chumbo? Ou você considera que entende melhor a “Ditadura de 64” nos anos atuais?
Não tinha. Hoje, sim, um cinqüentenário, quase jurássico (rs), entende melhor. O ginásio e o científico – na atualidade: fundamental II e ensino médio -, além de documentários e filmes, permitiram um conhecimento melhor sobre o tema. E um material ainda mal explorado pelos nossos quadrinhistas, que acha melhor viajar em GOT, Segunda Guerra Mundial  (viés americano), viagens no tempo do que se debruçar sobre o que aconteceu no Brasil.

4- No decorrer dos anos, você escreveu João Ninguém. Você considera essa história seguindo o mesmo pensamento, o mesmo gênero de Pátria Amada?

Clique na imagem para ampliar

Considero. Na verdade, involuntariamente, Pátria Amada, João Ninguém e Providência, é uma trilogia, independentes. Mas que se complementam. Na primeira, há uma criança que é um mero espectador, que ver e ouve e nada manifesta. Que entra em conflito consigo mesmo diante dos conflitos que vão se apresentando ao longo da história. Depois temos a segunda história sobre um rapaz, também espectador de uma País em crise, com um presidente narcisista e exibicionista, superinflação, desemprego. As rádios tocando música urbana, Legião Urbana, Plebe Rude, Capital Inicial… enfim, um rock in roll à brasileira de primeira qualidade. Com toda essa crise vem o questionamento sobre Deus. É nesse clima que vem à mente Providência. Uma crise existencialista sobre os problemas da vida e sua relação com o Divino. Portanto, cada uma daquelas três histórias é uma representação de mim mesmo em cada momento da minha vida.


5- O autor, que tem uma visão responsável de sua obra, sabe a relevância do que produz! No seu caso, o que espera de suas obras em relação aos que a lêem?
Sinceramente, eu espero ter deixado uma mensagem positiva. Ou, ao menos, uma reflexão. Creio que seja isso cada um, que produz algo, tem a fazer: plantar uma semente. Como Jesus, no Sermão da Montanha fez: deu sua palavra: “Aos que querem ouvir, que ouçam”!
Talvez eu tenha conseguido, pois pessoas perguntavam sobre ela, que foi republicada (rs). Escrever é uma Arte, mas tem que ser feito com responsabilidade pois hão de lerem e o que for dito ali, pode ajudar ou atrapalhar muita gente.

6- Quais o projetos que ainda almeja desenvolver em quadrinhos?
Sou lento para escrever, devo admitir. Meu processo criativo é resistente e fervilha dentro da cabeça e explode em idéias dentro do ônibus, quando viajo em pé, indo trabalhar (rsrsrsrs). Sério isso. Comecei a escrever e estava adiantado com dois roteiros, que seguiam a linha de terror e sobrenatural. Além de pequenos contos que pretendia torná-lo público em forma de livro, contudo… meu HD quebrou e perdi tudo (triste!). Os roteiros para quadrinhos teve pré-produção organizada, com reunião e tudo mais para finalização. A outra, eu mantinha em segredo pois buscava alguém para desenhá-la depois de pronta. Como disse, sou lento para escrever e tenho menos tempo hoje e paciência para desenvolver qualquer coisa. Entretanto, um desses roteiros será retomado pois pessoas acreditaram em mim e não posso falhar com minha palavra.

* É isso aí, Valcir! Foi um prazer reproduzir aqui no BLOG esta entrevista que você deu ao site da PRISMARTE. Assim ficamos conhecendo um pouco melhor sobre você e seu trabalho na PADA. Um grande abraço do MARCOS LOPES para você.

Clique para ampliar

Serviço:
Prismarte # 65 
Capa Colorida miolo em P&B.
32 páginas
R$ 6,00 + R$ 3,00 de correios Ou pelo Pagseguro (botão abaixo)
Confirme seu pedido pelo e-mail: primarte@prismarte.com.br
ou pelo facebook: https://www.facebook.com/PADA.Quadrinhos/


domingo, 7 de abril de 2019

À CAMINHO DE NOVAS AVENTURAS parte 3

A PRIMEIRA AVENTURA AMAZÔNICA DO ZÉ CORUJA

Olá, leitores! Mais uma vês sejam bem vindos ao meu BLOG e onde estou apresentando à vocês mais uma postagem da série À CAMINHO DE NOVAS AVENTURAS onde estou lhes dando ou mostrando uma prévia das futuras aventuras do nosso querido personagem ZÉ CORUJA. um dos principais objetivos desta série é exatamente mostrar ao leitor o que a PADA PRODUÇÕES e o MARCOS LOPES está preparando para vocês o andamento de nossas produções e deixá-los tranquilos de que não estão esquecidos por nós enquanto trabalhamos para trazer o melhor do quadrinho pernambucano e nacional. 

Cena de AVENTURA NA AMAZÔNIA 1
Bem, vamos deixar de conversa e falar mais deste trabalho que está esperando o momento certo para ser publicado por nós. Trata-se da primeira aventura ECOLÓGICA e AMAZÔNICA do nosso personagem. Por enquanto ela receberá o título provisório de AVENTURA NA AMAZÔNIA. Nesta aventura especial nós teremos junto com os nossos já conhecidos personagens. a ESTRÉIA de outros novos que aparecerão de uma única vez numa mesma história. Inclusive um deles aparece nesta cena mais acima deste texto! Trata-se do ROBISBERTO, um primo do TATU que é muito engraçado e atrapalhado tão ou mais que o TATU.

Cena de AVENTURA NA AMAZÔNIA 2
Como eu disse antes haverá a estréia de outros personagens além do já mencionado ROBISBERTO, mas eu não falarei deles agora e sim em futuras postagens aqui! Mas quero deixar claro que eles aparecerão em outras futuras aventuras do ZÉ CORUJA ajudando o nosso herói nos mais diversos problemas em aventuras bem cômicas. 

Cena de AVENTURA NA AMAZÔNIA 3
É o universo do ZÉ CORUJA se expandindo. Com a ajuda de vocês leitores, vamos torná-lo o mais universal possível e sem esquecer também as raízes "nordestinas e pernambucanas" de nosso herói.(risos)! Ah! Nessa AVENTURA AMAZÔNICA, vocês verão um interessante crossover com o nosso herói e seus amigos!

Cena de AVENTURA NA AMAZÔNIA 4

Pois é isso aí, meus amigos! Como estão vendo, tem muita coisa do nosso cangaceiro sendo preparada para vocês! Quero lembrar aqui uma outra coisa: Estou sentindo falta dos comentários e das curtidas no nosso blog! Não deixem de compartilhar o nosso blog! Ajudem divulgando e compartilhando em suas redes sociais! Cliquem também nos anúncios! Quem sabe vocês não encontram algum produto do seu interesse e também ajudam o nosso BLOG fazendo isso, ok? E não esqueçam! As últimas edições publicadas de AS AVENTURAS DO ZÉ CORUJA, e também da PRISMARTE se encontram na www.bookess.com  Aproveitem! Um forte abraço à todos e aguardem mais uma série de postagens com A CAMINHO DE NOVAS AVENTURAS!

sábado, 16 de março de 2019

À CAMINHO DE NOVAS AVENTURAS parte 2

Olá, leitores do ZÉ CORUJA! Estou aqui de volta com mais uma postagem da séria À CAMINHO DE NOVAS AVENTURAS. Trata-se de uma série de postagens mostrando à vocês de maneira resumida o que está sendo feito de trabalhos em relação ao nosso querido herói ZÉ CORUJA! Vimos na primeira parte desta série um pouco de três aventuras que estão publicadas e que estão perto de sua conclusão nas próximas edições. Agora vou mostrar à vocês o que eu (Marcos Lopes), e a PADA PRODUÇÕES com a força de MILSON MARINS, ARNALDO LUIZ e JOSÉ VALCIR estaremos trazendo até vocês brevemente na nossa revista AS AVENTURAS DO ZÉ CORUJA.


# A CORUJA POUSOU parte 1 #
Nesta primeira parte desta "trilogia ispaciá" do nosso cangaceiro, ele foi incluído "voluntariamente" no (pasmem!) PROGRAMA ESPACIAL PERNAMBUCANO como parte de uma tripulação do primeiro foguete que levará pessoas de BREJINHO à lua! Isso mesmo! O nosso herói devido à sua popularidade "quadrinhística" será a personalidade famosa entre os primeiros astronautas para levar o nome de BREJINHO ao espaço. Será o primeiro cangaceiro no espaço. Este é mais um texto de ARNALDO LUIZ que vai fazer você dar boas gargalhadas com nossos personagens na lua!

Clique na imagem para ampliar.
Leia a história inicial e veja como tudo aconteceu. Descubra o que se passou e cada etapa que o fez "embarcar" nesta que é literalmente a maior jornada ou odisseia do nosso herói indo  aonde nenhuma coruja jamais esteve. Desta vez os LUNÁTICOS da PADA PRODUÇÕES foram longe de mais. KKKKKKKKKK!!!

Clique na imagem para ampliar.

# OS ELEITOS parte 2 #
Nesta segunda parte da aventura você verá que vida de candidato à astronauta não é fácil. É claro que antes de ir par a maior aventura que um cidadão de BREJINHO já participou ele teve que passar, digamos, por uma verdadeira tortur...isto é, um GLORIOSO TREINAMENTO para estar apto para esta missão maluc...isto é, GLORIOSA MISSÃO em direção ao nosso satélite natural.

Clique na imagem para ampliar.
Mas os nossos heróis são persistentes e não vão abandonar essa oportunidade de fazer uma grande viagem ao espaço de jeito nenhum! Bem, pelo menos é o que pensa o ZÉ CORUJA pois o TATU não estava muito à fim de ir mais foi "delicadamente" incluído no voo pelo seu companheiro de aventuras.

Clique na imagem para ampliar.

# DA TERRA À LUA parte 3 #
Aqui no final da trilogia, você acompanhará todos os acontecimentos ocorridos dentro da espaçonave pomposamente chamada de BREJINHO 1 antes de chegar à lua. Nem tudo são flores até mesmo dentro de um foguete em viagem pelo espaço sideral! Você verá que um novo e "cibernético personagem"  entrará na história, se bem que ele já estava mesmo à bordo do veículo para atrapalhar todos os planos dos nossos heróis. Na conclusão da aventura, vocês descobrirão como o maior herói de BREJINHO salvará à todos nesta incrível ODISSEIA.

Clique na imagem para ampliar.
E é isso aí, meus amigos! Continuem acompanhado as publicações da PADA PRODUÇÕES como a revista PRISMARTE e também AS AVENTURAS DO ZÉ CORUJA. não deixem de fazer os seus comentários tanto no BLOG, como na FAN PAGE do personagem no FACEBOOK. Ajudem também o nosso blog clicando nas propagandas, pois, é disso também que dependemos para a existência do mesmo, ok? ABRAÇÃO!!! 


Clique na imagem para ampliar.


segunda-feira, 4 de março de 2019

EDIÇÃO 7 DE AS AVENTURAS DO ZÉ CORUJA NA BOOKESS

Abaixo mais uma matéria publicada no site da nossa gloriosa PRISMARTE onde anuncia mais um ponto de opção de venda da revistinha do ZÉ CORUJA.

As aventuras do Zé Coruja #7 – Fúria de Tantãs com 50% na Bookess
POR J.J. MARINS · 02/27/2019


As Aventuras de Zé Coruja #7 - Fúria de Tantãs

Para quem gosta da leitura em tablet e smartphones, já está a disposição no site da Editora Bookess a 7ª edição das AS AVENTURAS DO ZÉ CORUJA, colorida com 50% de desconto.  Usando esse números de cupom de desconto T0DAA09XWXLNRGT6WLRR  ou através do endereço http://www.bookess.com/read/30912-as-aventuras-do-ze-coruja-n-07/. Estão disponíveis 10 edições para você com esse desconto de 50%. Ou se preferir acesse a revista As Aventuras do Zé Coruja pelo seguinte endereço da Editora Bookess e ponha o cupom de desconto: http://www.bookess.com/read/30912-as-aventuras-do-ze-coruja-n-07/

SOBRE A HISTÓRIA

Uma das mais lidas histórias da literatura infantil, Os Três Porquinhos, agora tem mais uma versão, desta vez no olhar nordestino do roteirista Arnaldo Luiz e desenhada por Marcos Lopes, criador da série que hoje é publicada em sua própria revista: As Aventuras do Zé Coruja.

                                          Mais nova edição das Aventuras do ZÉ CORUJA.
Clique para ampliar
                         Em Brejinho (cidade fictícia do Zé Coruja), o mau não é um lobo, mais um porco (especificamente o Zé Porco – lembra os “porcos políticos” ou políticos “porcos”. Sem ofensa aos porcos). O porco é Zé Porco, inimigo numero 1 do Zé Coruja, que esteve presente em outras edições.
Para tirar o estereótipo rotulado sobre os lobos serem maus, o três lobos são vitimas do “porco” (agora com sentido de corrupto e inescrupuloso), o Zé Porco, que a todo custo que tomar as terras do lobos, já que eles não querem vender, para construir prédios.
São três edições, sendo essa a primeira, que completa a saga, com muito humor e aventura, com esse encontro de tantãs, nessa Fúria de Tantãs (título da história), que marca essa nova fase das Aventuras do Zé Coruja.
Na sequencia o convidado desta edição é a hq autoral, (autoral mesmo) do roteirista da série Arnaldo Luiz, em As Aventuras de Arnaldo. Uma historia cotidiana mais com humor do autor em suas aventuras  passeando com seu cão. Simples mais divertida, Arnaldo mostra que aventura não precisa ter violência.
Clique para ampliar.

Nos artigos, uma entrevista com Marcos Lopes, criador do Zé Coruja, que conta sua trajetória, o encontro com a PADA, e suas inspirações para realizar os quadrinhos do Zé Coruja. Além disso, as alegria de produzir uma série em quadrinhos no interior de Pernambuco para todo Brasil.

SERVIÇO:
AS AVENTURA DO ZÉ CORUJA  Nº 07FÚRIA DE TANTÃS
24 Páginas
Capa colorida miolo em P&B
Impresso R$ 7,00 (correio incluso)
Pode ser feito o pagamento pelo Pagseguro (em seguida envie e-mail com endereço)

Pague com PagSeguro - é rápido, grátis e seguro!

Edições a disposição na Bookess: